DevInCachu e Como Aprender a Programar

logo

 

DevInCachu 2011

No último sábado 30/4 aconteceu em Cachoeiro do Itapemirim a primeira edição do DevInCachu, um evento criado para reunir os profissionais, estudantes, professores que trabalham com desenvolvimento de software no Espírito Santo.
Foi um evento fantástico com uma organização para ninguém botar defeito, ótimas palestras, muito networking e coffee breaks caprichados…
Diversos reviews estão disponíveis explicando melhor o evento e tudo que rolou. Como não vou falar de tudo, se quiser saber mais acesse:

Léo Hackin

Magno Machado

Andrews Medina

Como aprender a programar

Vou focar este post em uma das palestras que tratou de um assunto que me interessa muito, educação. A palestra, chamada "Quer Aprender a Programar Direito? Pergunte-me como!", foi ministrada por Henrique Bastos (Teoria do Construtivismo de Piaget para mostrar a importância da prática ser aplicada junto a teoria.

O construtivismo propõe que o aluno participe ativamente do próprio aprendizado, mediante a experimentação, a pesquisa em grupo, o estimulo a dúvida e o desenvolvimento do raciocínio, entre outros procedimentos. A partir de sua ação, vai estabelecendo as propriedades dos objetos e construindo as características do mundo. (Linha Construtivista

Houve ainda uma alusão a Donald Knuth, quando diz “Arte e Ciência são duas faces da mesma moeda.”. Bastos sugeriu que encarássemos a  prática e a teoria também como dois lados da mesma moeda, lembrando que uma não vive sem a outra.
Depois disso foram propostas duas estratégias para auxiliar o ensino da programação de software, os dojos e forks.

Slides da Apresentação do Henrique Bastos

Saiba o que o pessoal que trabalha nas grandes empresas do país e do mundo acham de um dojo

Dojorio: muito além do código! from Henrique Bastos on Vimeo.

Este vídeo foi apresentado para alunos ingressantes de um curso de computação da UFF. Leia o relato no Henrique Bastos aqui

Um ótimo artigo sugerido por Bastos que mostra como a falta de prática é um problema não só na área da computação é este Richard Feynman on education in Brazil

Conclusão

Espero com este post auxiliar na propagação destas estratégias de aprendizado que são extremamente interessante e aplicáveis, trazendo diversas outras vantagens além de aprender a programar melhor, como treino da lógica e do trabalho em grupo.

2 comments for “DevInCachu e Como Aprender a Programar

  1. 5 de Maio de 2011 at 18:43

    Olá, José!

    Cheguei aqui através do PingBack no meu blog.

    Legal o post! Bacana que vc pegou bem os pontos chaves.

    Gostaria de saber mais sobre as iniciativas de Dojo que você está participando.

    Grande abraço, HB!

    • 5 de Maio de 2011 at 20:59

      Olá Henrique,

      Sou bem novato nos dojos, eu trabalhei cerca de 6 meses no Rio e participei apenas de um Dojo que rolou na Caelum. Eu cheguei a ver no site do dojorio as várias iniciativas que acontecem aí, mas não cheguei a ir em nenhuma porque não conhecia ninguém lá e não encontrei ninguém que animasse de ir comigo…

      Logo que cheguei na Ufes fiquei sabendo pelo João dos dojos que ele organizou e cheguei a comentar com ele de organizarmos algum. Depois da sua palestra fiquei realmente mais animado e voltei a conversar com ele e com o Maycon para que organizassemos novas edições na Ufes, eles animaram e estamos só definindo uma data boa!

      Por enquanto essa é a única iniciativa que estou participando… pretendo também divulgar a ideia na faculdade que me formei em Minas (Universidade Federal de Alfenas)

      Apesar de ter entendido bem a ideia do fork, não achei uma definição legal pra colocar no post. Queria saber se você sabe onde posso encontrar ou caso possa me falar eu anexo no post..

      Outra coisa, caso eu tenha esquecido de mais algum ponto importante me de um toque viu…

      Grande abraço,
      José Alexandre

Responder a Henrique Bastos Cancelar resposta